Candidata-te Agora!
Votações ABERTAS!

Clique no botão para votar no seu Finaista preferido

do Concurso Cascais Ópera

 

 

Encerrar a primeira edição do ”Cascais Ópera” – Concurso Internacional de Canto no Teatro Nacional de São Carlos era uma das nossas ambições, desde a sua criação.

 

E provou-se que um grande concurso, com uma vocação internacional testemunhada pelas dezenas de países representados por centenas de candidatos, poderia merecer bem esta honra.

 

E ao ver concretizado este desejo, beneficiamos da sensação de dever cumprido, graças à excepcional colaboração com o OPART, E.P.E. e com o Teatro Nacional de São Carlos, através de um dos seus corpos artísticos, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, bem como com a presença no júri do seu Diretor Artístico, Ivan van Kalmthout, um dos mais internacionalmente reconhecido especialista em concursos vocais.

 

Vimos com orgulho o altíssimo nível artístico dos candidatos bem como a extraordinária presença portuguesa, prova inequívoca das nossas qualidades pessoais e pedagógicas, ao mais alto nível mundial.

 

E o público que, entusiasticamente, acompanhou todo o Concurso, poderá agora votar na sua ou no seu candidato preferido, participando assim também ativamente neste evento que se pretende profundamente democrático.

 

Terminada esta primeira edição, preparamos desde já a sua continuidade em Abril/Maio de 2025, contando sempre na presidência do Júri com o grande barítono Sergei Leiferkus, alma desde o início desta extraordinária aventura musical.

 

Que seja assim esta a primeira de muitas edições do “Cascais Ópera”!  

 

Alexandra Maurício – Diretora Cascais Ópera

 

Adriano Jordão – Diretor Artístico

De olhos no futuro

 

É com grande alegria, e saudando a iniciativa, que o OPART – Organismo de Produção Artística, E.P.E. e o Teatro Nacional de São Carlos acolhem a sessão final da primeira edição do Concurso Internacional de Canto Cascais Ópera, abrindo as portas do bicentenário São Carlos a  uma nova geração internacional de cantores líricos.

 

Como único teatro lírico do País, cabe-nos dialogar e colaborar com novos projetos e parceiros que estejam alinhados com as nossas obrigações de serviço público, independentemente da sua natureza ou origem. Neste caso, congratulamo-nos que o Cascais Ópera tenha surgido da sociedade civil, através da Associação CIVOC, apoiada por instituições públicas e impulsionada pelo tecido económico na sua vertente mecenática que, no seu todo, constitui mais uma evidência do interesse que a ópera suscita e do extraordinário potencial que encerra. Destacamos também a cumplicidade da RTP, que se mantém intransigente no seu papel de veículo fundamental para tornar acessível a ópera a públicos mais alargados e fisicamente distantes.

 

De entre as inúmeras razões artísticas para esta parceria, salientamos,  por um lado, o importante papel dos concursos de canto na descoberta de novos cantores e no rejuvenescimento dos elencos e da Ópera; por outro lado, trata-se de um espaço singular para que os cantores e programadores estrangeiros possam conhecer o panorama do canto em Portugal; e, em sentido inverso, a oportunidade dos cantores portugueses – e foram seis os que iniciaram esta aventura – poderem equiparar-se aos seus congéneres e situar-se no panorama internacional.

 

No fosso do Teatro Nacional de São Carlos, estará a Orquestra Sinfónica Portuguesa, agrupamento residente do nosso teatro e referência a nível nacional que, ao longo dos seus 31 anos de existência, tem assegurado e vivenciado as mais inesquecíveis atuações por parte de virtuosos solistas.

 

Ao público que nos tem acompanhado com uma fidelidade e um entusiasmo inabaláveis, convidamo-lo a ser parte deste dia tão promissor, aplaudindo todos os finalistas e contribuindo ativamente para a eleição de um premiado.

 

Porque a ópera é de todos e para todos.

 

Conceição Amaral – Presidente do Conselho de Administração do OPART – E.P.E

 

Ivan van Kalmthout – Diretor Artístico do Teatro Nacional de São Carlos

Maestro Tom Woods

Tom Woods nasceu na Tanzânia e cresceu em Perth (Austrália), onde estudou violoncelo e piano, bem como direção de orquestra com Richard Gill no Conservatório da Austrália Ocidental. Uma bolsa de estudo do Ministério dos Negócios Estrangeiros permitiu-lhe continuar os estudos em Moscovo com o maestro Vladimir Ponkin.

 

De regresso à Austrália, Tom Woods juntou-se à Opera Australia em 1993, tornando-se o mais jovem maestro da história da companhia com a sua estreia em Tom Woods foi Diretor Artístico da Orquestra Juvenil de Sydney de 1999 a 2004, Diretor de Planeamento Artístico da Sinfónica de Queensland de 2006 a 2010 e Maestro Chefe da Orquestra Sinfónica de Christchurch de 2008 a 2014. Para além da sua agenda preenchida no seu país natal, dirigiu na Alemanha, Itália, Dinamarca, Suécia, Rússia, Japão, China e em toda a Australásia com orquestras como a Filarmónica de Osaka, a Filarmónica de Sendai, a Orquestra do Festival de Londres e a Orquestra Sinfónica de Krasnoyarsk.

 

Em 2014, Tom Woods mudou-se para a Alemanha, onde tem trabalhado desde então como Diretor Geral Adjunto de Música no Teatro Regensburg.

 

Desde a temporada 2023/24, Tom Woods é também responsável como Conselheiro Artístico da Orchestra Victoria em Melbourne, Austrália.

 

O versátil maestro também é bem-sucedido como compositor e arranjador.

Orquestra Sinfónica Portuguesa

Criada em 1993, a Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) é um dos corpos artísticos do Teatro Nacional de São Carlos e tem vindo a desenvolver uma atividade sinfónica própria, incluindo uma programação regular de concertos e participações em festivais de música nacionais e internacionais. Colabora regularmente com a Rádio e Televisão de Portugal através da transmissão dos seus concertos e óperas pela Antena 2, designadamente a realização da tetralogia O anel do Nibelungo, transmitida na RTP2, e da participação em iniciativas da própria RTP, como o Prémio Pedro de Freitas Branco para Jovens Chefes de Orquestra, o Prémio Jovens Músicos-RDP e a Tribuna Internacional de Jovens Intérpretes. No âmbito das temporadas líricas e sinfónicas, a OSP tem-se apresentado sob a direção de notáveis maestros, como Rafael Frühbeck de Burgos, Alain Lombard, Nello Santi, Alberto Zedda, Harry Christophers, George Pehlivanian, Michel Plasson, Krzysztof Penderecki, Djansug Kakhidze, Milán Horvat, Jeffrey Tate e Iuri Ahronovitch, entre outros. A discografia da OSP conta com dois CD para a etiqueta Marco Polo, com as Sinfonias n.os 1, 3, 5 e 6 de Joly Braga Santos, que gravou sob a direção do seu primeiro maestro titular, Álvaro Cassuto, e Crossing borders (obras de Wagner, Gershwin e Mendelssohn), sob a direção de Julia Jones, numa gravação ao vivo pela Antena 2.

Em maio de 2022, foi lançado o CD editado pela Naxos com obras de Fernando Lopes-Graça, sob a direção de Bruno Borralhinho. No cargo de maestro titular, seguiram-se José Ramón Encinar (1999-2001), Zoltán Peskó (2001-2004) e Julia Jones (2008-2011); Donato Renzetti desempenhou funções de primeiro maestro convidado entre 2005 e 2007.

 

Joana Carneiro foi maestrina titular de 2014 a 2021. Atualmente, a direção musical está a cargo de Antonio Pirolli, seu maestro titular. A Orquestra Sinfónica Portuguesa completou 30 anos de atividade em 2023.

Finals Repertoire

# Finalist Composer Opera Aria
1 Hovhannes Karapetyan Gioachino Rossini
Wolfgang Amadeus Mozart
La Cenerentola
Don Giovanni
Miei rampolli femminini (Don Magnifico)
Madamina, il catalogo è questo (Leporello)
8 Sílvia Sequeira Wolfgang Amadeus Mozart
Giuseppe Verdi
Don Giovanni
La forza del destino
In quali accessi… Mi tradì (Donna Elvira)
Pace, pace mio Dio (Leonora)
11 ByeongMin Gil Sergei Rachmaninov
Gioachino Rossini
Aleko
Il barbiere di Siviglia
Ves' tabar spit (Aleko)
La calunnia è un venticello (Don Basilo)
12 Teresa Sales Rebordão Johann Strauss II
Charles Gounod
Die Fledermaus
Romeo et Juliette
Ich lade gern mir Gäste ein (Count Orlovsky)
Que fais-tu, blanche tourterelle (Stéphano)
20 Jan Wouters Christoph Willibald Gluck
Gioachino Rossini
Orfeo ed Euridice
Tancredi
Che farò senza Euridice (Orpheo)
Oh patria… Di tanti palpiti (Tancredi)
21 Hae Kang Wolfgang Amadeus Mozart
Gioachino Rossini
Le nozze di Figaro
Il barbiere di Siviglia
Hai gia vinta la causa (Conte Almaviva)
Largo al factotum della città (Figaro)
28 Anna Erokhina Camille Saint-Saëns
Georges Bizet
Samson et Dalila
Carmen
Amour, viens aider ma faiblesse (Dalila)
Quand je vous aimerai... L'amour est un oiseau rebelle (Carmen)
30 Haesu Kim Giuseppe Verdi
Giacomo Puccini
Rigoletto
La Bohème
La donna è mobile (Duca di Mantova)
Che gelida manina (Rodolfo)
1 - Hovhannes Karapetyan
Gioachino Rossini
La Cenerentola
Miei rampolli femminini (Don Magnifico)
Wolfgang Amadeus Mozart
Don Giovanni
Madamina, il catalogo è questo (Leporello)
8 - Sílvia Sequeira
Wolfgang Amadeus Mozart
Don Giovanni
In quali accessi… Mi tradì (Donna Elvira)
Giuseppe Verdi
La forza del destino
Pace, pace mio Dio (Leonora)
11 - ByeongMin Gil
Sergei Rachmaninov
Aleko
Ves' tabar spit (Aleko)
Gioachino Rossini
Il barbiere di Siviglia
La calunnia è un venticello (Don Basilo)
12 - Teresa Sales Rebordão
Johann Strauss II
Die Fledermaus
Ich lade gern mir Gäste ein (Count Orlovsky)
Charles Gounod
Romeo et Juliette
Que fais-tu, blanche tourterelle (Stéphano)
20 - Jan Wouters
Christoph Willibald Gluck
Orfeo ed Euridice
Che farò senza Euridice (Orpheo)
Gioachino Rossini
Tancredi
Oh patria… Di tanti palpiti (Tancredi)
21 - Hae Kang
Wolfgang Amadeus Mozart
Le nozze di Figaro
Hai gia vinta la causa (Conte Almaviva)
Gioachino Rossini
Il barbiere di Siviglia
Largo al factotum della città (Figaro)
28 - Anna Erokhina
Camille Saint-Saëns
Samson et Dalila
Amour, viens aider ma faiblesse (Dalila)
Georges Bizet
Carmen
Quand je vous aimerai... L'amour est un oiseau rebelle (Carmen)
30 - Haesu Kim
Giuseppe Verdi
Rigoletto
La donna è mobile (Duca di Mantova)
Giacomo Puccini
La Bohème
Che gelida manina (Rodolfo)

Prémios

Está prevista a atribuição dos seguintes prémios no Cascais Ópera 2024

 

GRAND PRIX ÉGIDE

10.000,00€

Este prémio é atribuído pela Égide – Associação Portuguesa  das Artes

O vencedor deste prémio receberá ainda um contrato com Teatro Nacional de São Carlos

Primeiro Prémio “Teresa Berganza”, para voz feminina ou contratenor

7.500,00€
Este prémio é atribuído pela Fundação “la Caixa” em colaboração com o BPI

Primeiro Prémio “Maurício Bensaude”, para voz masculina

7.500,00€

2º Prémio

5.000,00€

3º Prémio

3.500,00€

Prémio Melhor Cantor

até 25 anos

2.500,00€

Prémio do Público RTP

O Prémio do Público RTP será escolhido pelos membros do público durante a Final

1.500,00€

Diplomas de Participação • Alguns dos prémios poderão não ser atribuídos, por decisão do júri

Votações ABERTAS!

Clique no botão para votar no seu Finaista preferido

do Concurso Cascais Ópera

Ficha Técnica

CASCAIS ÓPERA

Diretora Geral
Alexandra Maurício

Diretores Artísticos
Adriano Jordão | Sergei Leiferkus

Consultora
Maria Amélia Albuquerque

Produção Executiva
Madalena Braga Vidal | Ricardo Mendes

Produção e Coordenador Internacional
António Sá-Dantas

Apoio à Produção

Marta Lontrão

Cindy Valian

Edna Sousa

Joana Teixeira

Carlota Vidal

Finanças e Contabilidade
Cristina Prista

Comunicação
Ana Abrantes

Assessoria de Imprensa
Liliana Soares | António Marinho

Imagem e Web-design
Dimensão Global

Designer Gráfico
Joel Ribeiro

Vídeo e Grafismos
Igor Almeida

Redes Sociais
Ködö

Conteúdos
André Graça

Vídeo e Fotografia
Ricochete Films

Direção Técnica
Rui Braga | Pedro Rua

Direcção de cena (Carmen)
Rita Alves

Pianistas Acompanhadores

Eduardo Jordão (coordinator)

Gonçalo Simões

Natalia Riabova

Alessandro Praticò

Michael Sikich

Pianos e Afinação

Paulo Pimentel

Documentário Cascais Ópera

João Moreira dos Santos, coordinator
Fernando Mendes, images
Paulo Seabra, editing
Inês Correia Santos, RTP producer

OPART – Organismo de Produção Artística, EPE

Conselho de Administração

Conceição Amaral –PRESIDENTE

Rui Morais – VOGAL

Sofia Meneses – VOGAL

Serviço Educativo e De Pedagogia
Pedro Teixeira da Silva

Direção Financeira e Administrativa
Marco Prezado – DIRETOR

Setor Financeiro

Fátima Ramos – CHEFE

Raquel Mergulhão

Rute Gato

Setor de Aquisições

Edna Narciso – CHEFE

Marta Gamito

Setor de Limpeza

Maria Teresa Gonçalves – ENCARREGADA

Maria de Lurdes Moura

Maria do Céu Cardoso

Maria Isabel Sousa

 

Setor Expediente e Economato
Anabel Segura

Setor de Bilheteira

Laura Barbeiro

Luísa Lourenço

Rita Martins

Direção de Recursos Humanos

Pedro Quaresma – DIRETOR

Jéssica Santos

Sofia Teopisto

Vânia Guerreiro

Zulmira Mendes

Direção de Manutenção

Vítor José – DIRETOR

Nuno Cassiano

Armando Cardoso

Artur Raposo

Carlos Pires

Carlos Santos

Miguel Cardoso

Nuno Estevão

Rui Ivo Cruz

Rui Rodrigues

Susana Santos

Direção de Comunicação e Marketing
Sara Gil – DIRETORA

Gabinete de Informática
Pedro Penedo

Teatro Nacional de São Carlos

Diretor Artístico
Ivan van Kalmthout

Adjunta do Diretor Artístico
Cátia Pereira

Direção de Produção
Alda Giesta – DIRETORA
Mafalda Gouveia – DIRETORA
ADJUNTA (em substituição)
Luís Marreiros
Marta Silva

Gabinete de Contratação de Artistas
Alessandra Toffolutti – COORDENADORA
Fátima Machado

Setor de Costura
Ana Paula Simaria – CHEFE
Célia Libânio
Diogo Santos
Márcia Val Miyamoto

Direção Técnica
Joana Camacho – DIRETORA
João Paulo Araújo ADJUNTO (em acumulação)
Miguel Mendes

Setor de Maquinaria
João Paulo Araújo – CHEFE
Felipe Loch
Fernando Correia
Fernando Pinto
Gino Moretti
Gonçalo Gonçalves
Joaquim Cândido Costa
Marcus Severiano
Paulo Silva
Rui Carmo

Setor de Iluminação
José Diogo – CHEFE
Carla Pereira
Carlos Vaz
Daniel Morais
Geraldo Junior
Joaquim Almeida
Pedro Galo

Setor de Som e Vídeo
Miguel Pessanha – CHEFE
Telmo Costa

Setor de Contra-Regra
João Lopes – CHEFE
Herlander Valente

Direção de Cena
Bernardo Azevedo Gomes – DIRETOR
Álvaro Santos
Safira Ramos

Setor de Arquivo
Fernando Carvalho

Setor de Guarda-Roupa
Anabela Pires Vicente
Patrícia Abreu

Direção de Estudos Musicais
João Paulo Santos – DIRETOR
Joana David
Nuno Margarido Lopes

Direção do Coro e Orquestra
Margarida Clode – DIRETORA
João Carlos
Andrade – ADJUNTO (em acumulação)/ COORDENADOR DO  CORO
Celeste Patarra – COORDENADORA DA OSP
Diana Gonçalves
Isabel Pina
Jerónimo Fonseca
Maria Beatriz Loureiro
Nuno Guimarães
Sandra Correia

Gabinete de Documentação Musical
Paula Coelho da Silva – COORDENADORA
Inês Souza e Faro
Tiago Flores

Gabinete de Comunicação e Marketing
Raquel Maló Almeida – COORDENADORA
André Quendera
Jorge Rodrigues
Margarida Macedo de Sousa
Maria Salgado

Orquestra Sinfónica Portuguesa

MAESTRO TITULAR

ANTONIO PIROLLI

I VIOLINOS

PAVEL AREFIEV   

VELIYANA YORDANOVA

JORGE GONÇALVES

ANTÓNIO FIGUEIREDO

ISKRENA YORDANOVA

ANABELA GUERREIRO

ALEXANDER MLADENOV

MARGARETA SANDROS

LAURENTIU IVAN-COCA

LUÍS SANTOS

II VIOLINOS

PAULA CARNEIRO

WITOLD DZIUBA

CARMÉLIA SILVA

LYZA VALDMAN*

AURORA VORONOVA

PATRÍCIA TOMÉ*

KATARINA MAJEWSKA

DAVID ASCENSÃO*

VIOLAS

PEDRO MUÑOZ

CECILE PAYS

ISABEL PEREIRA

SANDRA MOURA

LEONOR FLEMING*

DAVIDE NAVELLI*

VIOLONCELOS

HILARY ALPER  

CAROLINA MATOS

EMÍDIO COUTINHO

LUÍS CLODE

CONTRABAIXOS

DUNCAN FOX

MARIA DELMAR*

VANESSA LIMA*

FLAUTAS

ANABELA MALARRANHA

RUI MATOS (Picc)

ANA BAGANHA (Picc)

OBOÉS

LUÍS PEREZ      

LUIS MARQUES

ELIZABETH KICKS (C.i)

CLARINETES  

FRANCISCO RIBEIRO (+Cl.mib)  

CÂNDIDA OLIVEIRA

JORGE TRINDADE (+ClB)

SAXOFONE

RITA NUNES* 

FAGOTES

DAVID HARRISON

ROBERTO ERCULIANI

JOANA MAIA

CAROLINO CARREIRA

TROMPAS

PAULO GUERREIRO

CARLOS ROSADO

LAURENT ROSSI

TRACY NABAIS

TROMPETES

ANTÓNIO QUÍTALO   

PEDRO MONTEIRO

JORGE ALMEIDA (+Crnt)

LATCHEZAR GOULEV (+Crnt)

TROMBONES

JARRETT BUTLER     

VÍTOR FARIA

JOAQUIM ROCHA (Trbn.B)

TUBA

ILÍDIO MASSACOTE

TÍMPANOS

ELIZABETH DAVIS

PERCUSSÃO

RICHARD BUCKLEY

LÍDIO CORREIA

PEDRO ARAÚJO E SILVA

JOÃO MIGUEL BRAGA SIMÕES*

HARPAS

CARMEN CARDEAL

CELESTA//PIANOFORTE

NUNO MARGARIDO LOPES

JOANA DAVID

REFORÇOS *  

Over the past three decades, primarily in London, Portugal and Amsterdam, Dr Jorge Balça
has developed a strong portfolio of work and a unique combination of skillsets – as a stage
director (of theatre, opera, and hybrid forms), a teacher and workshop leader, a presentation
skills, acting and creativity coach, and practice-based researcher. His work in all these
domains is distinguished by his commitment to and skill in making fantasy and invention
emerge from precise knowledge and training – and by his ability to inspire a similar alchemy
in his collaborators.

Classically trained as an actor and countertenor, he studied theatre directing in London and
Moscow, specialising in Shakespeare, techniques of adaptation, Meyerhold and commedia
dell’arte. Jorge also holds a PhD exploring the dramatic training of opera performers.
With a love for site-specific projects and collaborative forms, and an equal flair for comedy
and drama, his work is dramaturgically inventive, visually striking, and physically engaged.
He was the artistic director of Bloomsbury Opera and associate director of The Opera
Makers, both in London. In Portugal, he has recently directed L’Heure Espagnole and The
Turn of the Screw at Centro Cultural de Belém, and Don Giovanni and La Voix Humaine at
Festival de Ópera de Óbidos.

Jorge is committed to his work as a teacher, having taught at the Dutch National Opera
Academy, Morley College London, Universidade de Évora and other institutions. He
maintains an international coaching private practice and is the acting coach at the Neil
Semer Vocal Institute in Italy.

Este site usa cookies para uma melhor experiência de utilizador.

Ao usar este site está a concordar com as nossas Politica de Privacidade e Termos e Condições.